BLOG

ELAS TAMBÉM EMBALAM A PISTA!

Muitas mulheres adoram ir para a balada, dançar e curtir uma boa música eletrônica, mas isso não significa que as mulheres não vão além disso. De fato o número de mulheres que tocam, produzem e comandam esse meio é ainda muito desproporcional em comparação aos homens, mas elas estão cada vez mais ganhando o seu espaço e arrasando por aí.

Não querendo desmerecer a ala masculina, é claro, mas algumas dão um banho em muitos por aí heim. Muitas delas ainda sofrem preconceito, mas em compensação ganham muito apoio por aí também. Na nossa região elas estão aparecendo cada vez mais e isso serve de incentivo, além de trazer o publico feminino para mais perto deste mundo da música eletrônica.

Há quem diga que elas são as pioneiras da música eletrônica. Vejam abaixo um vídeo de 1977 da compositora Laurie Spiegel. O sintetizador do vídeo é um dos primeiros exemplos de síntese de áudio puramente digital e o software foi desenvolvido pela própria Spiegel, que o chamou de “concerto generator“.

A publicitária Giamelaro da DJ Ban fez uma seleção das DJs brasileiras mais poderosas do momento. Vamos conferir algumas delas?

 

ANNA

foto 1 05 06
Ela vem construindo uma sólida carreira que iniciou aos 15 anos, desfrutando de reconhecimento internacional. Em 2014 ela ganhou uma residência em um dos mais famosos clubes de Ibiza, o Blue Marlin, e já passou por Dubai, China, França, Espanha, África do Sul, Inglaterra, India, México, Finlandia, Suiça, Guatemala, Santo Domingo, Croácia, Chipre.

 

ELI IWASA

foto 2 05 06
Ela é uma das sócias do Club 88 em Campinas, tornou-se conhecida por organizar o consagrado projeto Technova, no Lov.e Club, onde se passou um capítulo de grande importância da história da música eletrônica no Brasil. Ela já marcou presença em importantes clubs e eventos como D-Edge, Sirena, Garage, Kaballah Festival, XXXperience e Universo Paralello, assim como o Rex Club e Nouveau Casino em Paris, Moog e Macarena em Barcelona.

 

KÉ FERNANDES – GROOVE DELIGHT

foto 3 05 06
Groove Delight é o projeto musical idealizado pela jovem artista paulista Ké Fernandes e eu particularmente adoro ela. Neste sábado ela estará no evento Deep Sunday III no CTG Pedro Raymundo em Criciúma. Com influências diversas dentre Rock, New Wave, House e Techno, sua sonoridade reflete uma forte personalidade, mesclando groove e sínteses de nuances psicodélicas à industriais que resultam em produções sempre autorais e apresentações invariavelmente eletrizantes. Desde 2009 ela vem conquistando o respeito do cenário eletrônico e hoje é considerada uma das maiores influencias femininas.

 

ANY MELLO E JESSICA TRIBST – VIOLET

foto 4 05 06
O duo Violet é um projeto que já nasceu carregado de experiência. Ele é formado pelas DJs Any Mello, artista reconhecida Brasi afora pelo seu trabalho audiovisual ao lado de Victor Ruiz, e Jessica Tribst, DJ residente do MOB Festival – Music on Board. O Violet apresenta para a efervescente cena eletrônica duas histórias musicais somadas com destreza e sensibilidade.

 

JOYCE MUNIZ

foto 5 05 06
Joyce nasceu em São Paulo e foi introduzida na cena da música eletrônica em Viena. Aos 16 anos de idade fez a sua primeira apresentação como DJ e a partir de então começou a colaborar e fazer grandes parcerias como vocal. Em reconhecimento ao seu trabalho com vocais, Joyce Muniz ganhou o prêmio Amadeus/Áustria (equivalente ao Grammy), pela participação vocal com Skero – rapper austríaco – com o hit “Kabininparty”, que levou o prêmio como “Melhor Canção do Ano”, além de outras indicações. Com agenda de shows internacionais lotada, Joyce não deixa ninguém parado com o seu som único e diversificado, levando o público para uma viagem musical através das batidas afro, Tech Tropical, Electro e House.

 

ALE RAUEN

foto 6 05 06
Ale é uma mulher de atitude, apaixonada, interessada por tudo que o mundo da música eletrônica oferece e, apesar de já poder dar aula sobre discotecagem, permanece sendo uma eterna aprendiz. Ela possui 4 turnês internacionais na bagagem passando pelo Texas, Miami e Califórnia. A DJ também já tocou em grandes festivais no país como Ultra Music Festival, Helvetia, House Beach e Salvador Weekend, além, é claro, dos principais clubes aonde seu estilo se desdobra, passando por cidades de todo o país, como Sirena e Anzu em São Paulo, Green Valley em Santa Catarina, Garage em Cuiabá, Meat em Porto Alegre e Ego na Bahia.

 

CRIS PROENÇA

foto 7 05 06
Ela é uma das principais musas da House Music nacional com sets que variam entre o Deep, Soulfull e o Progressive House. Sócia e DJ do descolado clube Provocateur, em São Paulo, Cris também foi sócia do label Kiss & Fly, sendo responsável pelo repertório e mixagens do CD oficial do club, um grande sucesso na crítica especializada, que conta com nomes como Swedish House Mafia, Avicii e Eric Morillo em sua tracklist. Como produtora lançou a faixa “You’re a Star”, parceria com a cantora americana Paris Sharpe, que além de ser executada por grandes rádios em vários países, também entrou no chart “Top 40 USA National House Chart”, do conceituado site zipdj.com.

 

CINARA MARTINS

Performance
Ela é influenciada principalmente por hip hop e tem o seu estilo musical definido como “minha raiz”. A DJ também trabalha com a cantora Leilah Moreno e ainda é uma das atrações da festa mensal “Segunda Brava”, ao lado de DJ Cia (RZO) e da lenda do rap paulistano KL Jay (Racionais MCs). Cinara também teve passagem pela Europa em 2010 durante um ano, na qual residiu em um clube em Madri e se apresentou na Itália, experiência que fez amadurecer sua discotecagem.

 

PAULA CHALUP

foto 9 05 06
O estilo musical inconfundível e as mixagens precisas fizeram da DJ e produtora Paula Chalup uma das figuras centrais da cena eletrônica paulistana. Desde sua primeira residência no Hell’s Club, quando era conhecida apenas como DJ Paula, já se somam 17 anos devotados exclusivamente à música eletrônica, o que se traduz diretamente no amplo respaldo de crítica e público que angariou no decorrer desse tempo . Dedicando-se também à produção musical desde 1997, ela conquistou a América do Sul e voou com seu som para países como Argentina, Colômbia, Chile, Equador e Uruguai, chegando a cruzar o Atlântico e se apresentar em Paris, Londres e Amsterdã, bastiões da cultura eletrônica. Agora como uma experiente e renomada artista, ela se firmou uma das residentes de maior destaque no clube D.EDGE e um trunfo para a agência do D.EDGE, agregando sua competência e talento às fileiras já muito bem compostas da marca.

É claro que são apenas alguns dos nomes de DJs lindas e muito talentosas que temos aqui no Brasil. Sem falar no que temos a nível internacional, como as tops DJs Annie Mac, dupla de irmãs gêmeas australianas que formam o projeto NERVO, Nicole Moudaber, Mary Anne Hobbs, Maya Jane Coles, Audrey Napoleon e Lady Faith.

Enfim, espero que esta diferença de proporção entre homens e mulheres diminua cada vez mais e que mais talentos como os citados acima surjam. O mercado da música eletrônica só ganha com isso e sem dúvidas há espaço para todos.

Fontes de apoio: djban.com.br e ambrosia.virgula.uol.com.br

 

Até sexta que vem pessoal!
Um ótimo final de semana para nós.

Comente o Post
Post Relacionados