BLOG

IMAGEM 01

Setembro amarelo: Você também pode fazer parte da prevenção!

Marcos Alexandre Margotti Izé
Psicólogo CRP 12/15412
(48) 99942-0718
marcosmargotti@hotmail.com

    Segundo estatísticas da Organização Mundial da Saúde (OMS), cerca de 800 mil pessoas no mundo cometem suicídio por ano, sendo considerado a segunda maior causa de mortes entre jovens de 15 a 29 anos, perdendo apenas para violência. No Brasil, segundo estatísticas, há um suicídio a cada 45 minutos. Sabemos que o sofrimento psicológico é um dos principais fatores que levam as pessoas a cometerem esse ato. Porém é necessário entender cada caso dentro de sua singularidade. Isso equivale a dizer que, existem variáveis particulares que levam o sujeito a tirar a própria vida.

    De uma forma geral, é possível perceber que problemas do dia a dia, transtornos psiquiátricos, complicações psicológicas, perdas de pessoas queridas, ou mesmo perda de algo importante, contribuem para manutenção desse número. Segundo dados, ainda não é possível saber o número exato de casos, pois muitas situações não são notificadas. Com isso podemos dizer que, ao tirar a vida, o desejo na verdade é dar um fim ao sofrimento enfrentado.

    Mostra-se importante o movimento do setembro amarelo, por colocar em pauta essa discussão, pois cerca de 90% dos casos de suicídio poderiam ser evitados. Atualmente um dos trabalhos disponíveis de prevenção ao suicídio é o CVV – Centro de Valorização da Vida, sendo totalmente gratuito, onde as pessoas podem ligar para o número 188 e falar de forma anônima sobre seus problemas. Mostra-se importante também o acompanhamento psicológico, afim de trabalhar as questões geradoras do sofrimento no indivíduo.

    Mas como você pode ajudar? Você não precisa ser profissional da área da saúde para promover a prevenção. Algumas pequenas atitudes, podem ser enormes para quem precisa de ajuda. Prestar atenção nas pessoas ao seu redor já pode ser um grande ato. Estar atento a mudanças de comportamentos, falas ou postagens em redes sociais que denotem tristeza, ou ideias de suicídio. Isolamento e afastamento podem denunciar a necessidade de uma conversa e ajuda profissional. É necessário compreender que ao contrário do que diz o dito popular, quem quer cometer suicídio sempre avisa, deixa sinais na busca de tentar trabalhar o sofrimento presente.

    Oferecer alguns minutos de sua atenção para um desabafo também pode contribuir muito, ouvindo de forma empática, sem julgar os sentimentos e a realidade que a pessoa relata, orientando ela a buscar auxilio profissional para trabalhar seu sofrimento. O simples fato de poder falar, desabafar, expor seus sentimentos para outra pessoa, já é uma forma de alivio.

Comente o Post
Post Relacionados