BLOG

IMAGEM 16

Ciúmes, o que isso pode refletir acerca de si mesmo?

Marcos Alexandre Margotti Izé
Psicólogo – CRP 12/15412
(48) 99942-0718
marcosmargotti@hotmail.com

É natural sentirmos ciúmes do nosso companheiro(a), de objetos que possuam valor sentimental para gente, de amigos ou parentes. Este sentimento, como tantos outros que experimentamos no dia a dia, pode aparecer nas diversas situações e perfis de nossa vida. O ciúme também pode ser compreendido como um estado emocional que envolve sentimentos em relação a uma pessoa ou objeto, no qual se espera dedicação exclusiva. O ciúme surge a partir da possibilidade de que esta pessoa ou objeto possa servir ou se dedicar a outras pessoas.

Normalmente frente ao ciúme, encontra-se o sentimento de insegurança (pela possibilidade real de algo acontecer, de um relacionamento acabar), desconfiança, dúvida pela incerteza e eminente ameaça, pensamentos de que eu posso ser traído ou trocado por outra pessoa. Mas isso tudo em uma relação saudável, é passível de reflexão. Ou seja, é inegável que, a probabilidade de relacionamentos acabarem, de seu companheiro conhecer outras pessoas são reais e fazem parte de todas as relações existentes no mundo. Mas até que ponto seus pensamentos e dúvidas, condizem com a realidade?

O ciúmes na relação afetivo amorosa, muitas vezes é aceito no início da relação por aparecer de forma sutil e muitas vezes disfarçado e compreendido como uma forma de demonstrar seu sentimento ao companheiro(a), sendo esta a justificativa em grande parte dos casos para justificar seus comportamentos. Porém, é comum que com o passar do tempo, o que antes pareciam comportamentos inofensivos, passam a se agravar, trazendo incômodo e muitas vezes sofrimento a uma das partes envolvidas. Comportamentos como a manipulação do companheiro(a), constantes opiniões sobre como o outro deve se vestir, se comportar, se portar frente a pessoas do sexo oposto, a necessidade de controle na relação, invasão da privacidade do outro, proibições de se encontrar com amigos(a), até violência física ou psicológica são indicativos de que o ciúme em relação ao companheiro(a) podem estar ultrapassando o limite de uma relação saudável. Sendo também indicativos de um possível relacionamento abusivo.

Por isso te convido hoje a pensar comigo, de que forma o ciúmes traz algum tipo de prejuízo a sua vida atualmente?

O ciúmes quando em excesso como qualquer outro sentimento, pode acarretar em sofrimento emocional, fragilização ou até o fim de uma relação, pois a longo prazo, pode acarretar em um desgaste emocional para ambos os envolvidos na relação. Porém quando conversamos e investigamos o ciúmes, os principais sentimentos envolvidos são a insegurança, por perceber que a liberdade do outro é algo que não possuímos controle, e a desconfiança, pela possibilidade de algo acontecer, de meu companheiro(a) poder conhecer ou se relacionar com outras pessoas. Mas até que ponto isso é real? O que este sentimento pode denunciar sobre nós mesmos?

O ciúmes, quando excessivo, pode ser compreendido como um sintoma de algo maior que necessita ser trabalhado. Ou seja, quando investigado a história de vida, as raízes do ciúmes, encontra-se muitas vezes outras problemáticas como, baixo auto estima, insegurança em relação a si mesmo, crenças e valores distorcidos que fazem com que o sujeito não consiga reconhecer suas qualidades e seu valor, que consequentemente reflete na forma como o indivíduo enxerga a realidade de seu relacionamento e a forma como esta pessoa se relaciona não apenas com seu companheiro, mas em todas relações de sua vida. Sentimentos de inferioridade, fracasso, impotência são comuns de serem encontrados quando realizada esta investigação.

Se mostra importante então avaliar de que forma o ciúmes se insere nas suas relações, seja ela a relação afetivo amorosa, familiar, entre outras relações que fazem parte de sua vida. Bem como avaliar em que momentos ele é manifestado. Caso isso ocorra de forma a trazer sofrimento ou prejuízos a sua vida, é importante a busca pelo auxílio profissional, a fim de verificar os motivos que estão por detrás deste ciúme excessivo, de uma forma a buscar alternativas de amenizar o mesmo. Cuide-se!

Você possui alguma dúvida ou curiosidade sobre algum tema em psicologia que gostaria que fosse abordado neste espaço? Dúvidas ou sugestões podem ser enviadas para o e-mail marcosmargotti@hotmail.com

Comente o Post
Post Relacionados